Categorias
Edições Anteriores

Edição #07

Oi, como você está?

Anteontem, dia 24 de maio, Robert Allen Zimmerman — ou simplesmente Bob Dylan — completou 80 anos de idade. Em suas músicas, ele deixa clara sua posição política, um entre tantos exemplos a serem seguidos. 

Cantor, compositor, escritor, ator, pintor e artista visual, Bob Dylan é uma das personalidades mais importantes do cenário artístico norte-americano — e, porque não, do mundo. É o único artista que ganhou, além do Prêmio Nobel, o Oscar, o Grammy, o Pulitzer e o Globo de Ouro.

Ter e defender um posicionamento político ao longo da vida não é tarefa fácil. Aqui no Brasil, desde que Bob Dylan nasceu, nós passamos pela Constituição de 1946, a queda e o suicídio de Getúlio Vargas, pela era JK, pela deposição de João Goulart seguida do golpe de 1964, por 21 anos de ditadura militar, pela eleição e o impeachment de Fernando Collor de Mello, pelos governos de FHC, de Lula, de Dilma e de Temer, e pela infeliz eleição de Bolsonaro.

Nós do Lambrequim acreditamos que ter uma posição política não é uma questão de apontar certos ou errados, mas sim de expressar a nossa humanidade. Todo e qualquer governo que negligencie direitos básicos do ser humano nos terá como opositores.

E quem somos nós? Grãozinhos de areia nesta máquina chamada Brasil, assim como você. Mas quando esses grãozinhos se unirem para ventar na mesma direção, tenha certeza de que seremos tempestade.

Boa leitura! 

Notas da Edição #07

27/05 tem live de lançamento do álbum Adejo

Enquanto a classe artística passa necessidades…

Prêmio Marielle, coreografia Raiz e mais

Ada Macaggi, o ímpeto de uma voz efêmera