Categorias
Nefelibatas

Desvendando o desafio: enfrentando as IAs nos testes de humanidade

Você já notou como a luta contra robôs invasores está cada vez mais difícil? Bem, os famosos Captchas estão perdendo a batalha contra os avanços das Inteligências Artificiais. Agora, uma nova guerra emerge: encontrar um Captcha que humanos resolvam, mas bots não.

Vamos voltar um pouco. Lá em 1950, Alan Turing criou seu famoso teste, aquele que leva seu nome. Ele avalia se um programa de computador pode passar por um humano durante uma conversa de cinco minutos.

Embora ainda não tenha sido superado, o foco desse teste é a capacidade do programa em processar linguagem natural, gerar linguagem e compreender seu significado.

Imagine um jogo de imitação, onde um interrogador tenta, através de perguntas, distinguir respostas de humanos e computadores. Se, pelo menos 70% das vezes, os interrogadores acreditarem que estão interagindo com humanos, o programa passa no teste.

Em 2000, Luis von Ahn, cofundador e CEO do Duolingo, foi inspirado pelo dilema do Yahoo com spammers e seus bots. Para solucionar isso, ele e seu orientador, Manuel Blum, criaram o agora famoso Captcha, onde usuários decifram caracteres distorcidos.

O Yahoo adotou a tecnologia para conter registros automatizados. Von Ahn cedeu o uso gratuitamente, valorizando a utilidade da inovação acima do lucro.

Mas a reviravolta vem com o reconhecimento óptico de caracteres (OCR), que ensinou bots a decifrar texto instável. Em 2014, a IA do Google resolvia Captchas de texto em impressionantes 99,8%, enquanto humanos marcavam apenas 33%.

Os Captchas evoluíram, pedindo agora para identificar imagens ou áudio específicos, mas as IAs estão pegando o jeito nisso também.

E com a IA gerando seus próprios Captchas, as coisas ficam estranhas. Usuários do Discord notaram Captchas bizarros, cheios de objetos surreais, resultado da IA, como um caracol ioiô chamado “Yoko”.

O que está por vir? O botão “Eu não sou um robô” está usando nossos comportamentos – histórico de navegação, movimentos do mouse – para avaliar a humanidade. A tecnologia futura poderia transformar isso em uma vigilância constante.

Mas, no fim das contas, à medida que bots ficam mais inteligentes, os Captchas continuam um passo à frente, mantendo a luta pela autenticidade online.

Assine o Lambrequim