Lambrequim logo newsletter

a newsletter de cultura e tecnologia da Têmpora Criativa

Lofi Girl encontra problemas de direitos autorais no YouTube

Se você tem costume de ficar navegando pelo YouTube atrás de músicas relaxantes, com certeza deve ter se deparado com o canal Lofi Girl

Caso você não conheça, trata-se de um stream de música 24 horas por dia, 7 dias por semana, especializado em batidas de hip-hop lo-fi

O canal e seu personagem homônimo, uma garota estudando com seu gato, conta atualmente com 11, 3 milhões de inscritos. O chat do canal é ininterrupto, com pessoas do mundo todo conversando 

Entretanto, em meio às transmissões de batidas frias, alguns dramas muito desconfortáveis ​​do YouTube expuseram um problema contínuo de direitos autorais na plataforma.

Isso mesmo, o YouTube removeu Lofi Girl depois de receber (o que acabou sendo um falso) relatório de direitos autorais. Pouco tempo depois, o YouTube reconheceu o erro. 

A conclusão foi que a reivindicação de remoção era “abusiva” e restabeleceu o canal.

Mas o que é uma alegação “abusiva”? E como o YouTube trabalha com as questões de violação de direitos autorais? 

São três maneiras:  

A primeira delas é chamada de Content ID, que é um sistema automatizado que oferece suporte a grandes empresas com direitos exclusivos de mídia. Por exemplo, gravadoras, estúdios de cinema etc.

A segunda são os Copyright Match Tool, que os criadores podem usar para identificar automaticamente possíveis correspondências de seus vídeos.

E a terceira é um formulário (público), onde qualquer pessoa pode usar para enviar uma reclamação. 

De acordo com o YouTube, o sistema Content ID foi responsável por mais de 99% de todas as ações de direitos autorais realizadas no primeiro semestre de 2021, das quais menos de 1% foram contestadas.

E sim, claro que alguns “cidadãos de bem” usam o formulário para registrar falsas reivindicações de direitos autorais com o intuito de extorquir ou assediar artistas.

O YouTube afirma que o potencial de abuso de formulários é 30 vezes maior do que suas outras ferramentas.

Para artistas que não têm muitos seguidores, a exemplo do canal Lofi Girl, contestar um monte de alegações falsas pode realmente ser um grande problema.

O que pode ser feito?

A princípio, o meio mais comum é entrar em contato com suporte do YouTube, assim os remetentes que se sentirem enganados podem abrir uma disputa. 

Embora cada país tenha as suas próprias leis e formas de lidar com a questão dos direitos autorais, o professor James Grimmelmann, da Universidade Cornell, diz que as leis existentes incentivam a remoção dos conteúdos em vez de examinar cuidadosamente cada reivindicação.


Publicado

em

por