Categorias
Coisas que aprendi com séries

Wednesday Addams, uma filha de quarta-feira cheia de aflições

Desde sua primeira aparição em junho de 1940, no cartum de Charles Addams, Wednesday, a Wandinha, é uma das personagens mais legais de toda a Família Addams. 

Aficionada por coisas macabras e por torturar o seu irmão Pugsley Addams (Feioso Addams), Wednesday, ganhou uma nova série, disponível na Netflix. O elenco conta com Jenna Ortega, Gwendoline Christie, Riki Lindhome. A criação é de Alfred Gough e Miles Millar e a direção é de nada mais nada menos que Tim Burton

E olha, devo te dizer que eu gostei. Embora as pessoas com quem conversei falem que a série é voltada para adolescentes (e é mesmo), o adulto aqui não consegue deixar de lado a nostalgia. 

Fora isso, o roteiro é muito bem escrito e a forma que a narrativa é contada me lembra um pouco a série Riverdale. Quase todos os diálogos da personagem são de uma sagacidade incrível — tão incrível que, na minha cabeça, é impossível dissociar a inteligência e o humor ácido da Wandinha com o do célebre dr. House. 

Feito o jabá gratuito, vamos ao que interessa.

Por que Wednesday se chama Wednesday?

Eu não comentei antes, mas a trilha sonora da série também merece destaque (calma, você já vai entender). 

A música tema de Wednesday foi criada por Danny Elfman, compositor e cantor vencedor do Emmy que trabalha de vez ou outra com Tim Burton. 

Elfman escreveu as trilhas para a maioria dos projetos de Tim Burton: de Beetlejuice e Edward Scissorhands a Big Fish, Corpse Bride e The Nightmare Before Christmas

Outro compositor também participou dos arranjos e da criação das músicas: trata-se de Chris Bacon, que fez as trilhas só de Bates Motel e Smash, por exemplo. 

E o que tem a ver música com o nome da primogênita da Família Addams? 

Bom, é simples. O nome da nossa Wandinha é inspirado em uma antiga canção de adivinhação inglesa, chamada Monday’s Child

Em uma versão atual: 

“Monday’s child is fair of face,
Tuesday’s child is full of grace.
Wednesday’s child is full of woe,
Thursday’s child has far to go.
Friday’s child is loving and giving,
Saturday’s child works hard for a living.
And the child born on the Sabbath day
Is bonny and blithe, good and gay.”

Ou seja, é uma cantiga, similar às que temos aqui no Brasil, como, por exemplo, Boi da Cara Preta ou Nana Neném

Na canção que inspira o nome de Wednesday, acredita-se que o caráter ou o futuro de uma criança é definido no dia de seu nascimento

O primeiro registro impresso de Monday’s Child foi no segundo volume de um livro de 1838 chamado, Traditions, Legends, Superstitions, and Sketches of Devonshire: On the Borders of the Tamar and the Tavy, Illustrative of Its Manners, Customs, History, Antiquities, Scenery, and Natural History, de Anna Eliza Bray.

Na imagem abaixo, uma publicação na St. Nicholas Magazine, 1873.

Entretanto, é bem possível que Monday’s Child tenha circulado por décadas ou mesmo séculos antes de ter sido publicado em forma de poema pela primeira vez — teoria esta que é defendida no livro chamado Oral and literate culture in England, 1500-1700, de Adam Fox.

O limiar entre a oralidade na literatura e a superstição 

Segundo o autor, o escritor elizabetano Thomas Nashe certa vez falou sobre um grupo de mulheres idosas de Suffox que em 1570, contavam sobre a sorte “estranha” que alguém deveria ter conforme o dia da semana em que nasceu.

Atribuir certas características às pessoas, com base no dia da semana em que nasceram, aparentemente era uma coisa do século XVI na Inglaterra

Portanto, “o filho de quarta-feira está cheio de aflições” pode significar exatamente o que parece — ou seja, que, normalmente, os bebês nascidos na quarta-feira tendem a ser um pouco mais mal-humorados.

(E nesse momento, enquanto revisa o texto, a Mylle lembra que nasceu numa quarta-feira)

Mas por que a criança de quarta-feira está cheia de aflição?

Uma outra teoria remonta à etimologia dos dias da semana, que por sua vez, derivam seus nomes de deuses anglo-saxões. Quarta-feira começou como “Wodnesdaeg” e recebeu o nome de Woden, que é mais conhecido como Odin.

(Deuses Americanos mandou lembranças) 

Só para lembrar, Odin não era apenas um rei feroz e guerreiro, mas também um poeta que adorava viajar pela Terra disfarçado de viajante. 

Buscando o conhecimento acima de tudo, Odin era uma personalidade séria que até sacrificou um de seus olhos em busca da iluminação. É possível que a dor do filho de “quarta-feira” seja um reflexo de alguns dos atributos mais sérios de Odin, o homônimo do dia da semana. 

“Woe” pode não ser tão trágico quanto parece e pode simplesmente indicar um comportamento mais sério ou, quem sabe, um desejo de entender os mistérios mais profundos da vida — o que combina perfeitamente com a personalidade apresentada na série. 

Para finalizar

Curiosamente, há uma variedade de versões diferentes de “Monday’s Child”, algumas contam uma história muito diferente sobre os nascidos na quarta-feira. Em uma versão escocesa do poema, por exemplo, a criança de quarta-feira é “alegre e feliz”, enquanto a criança de quinta-feira é “sábia e triste”.

Bom, lendas por lendas, cantigas por cantigas, espero que você tenha nascido em um lindo sábado, da mesma forma que eu.